ANA BACALHAU

Localização: Alfama
Convidada: Ana Bacalhau
Canto, escrevo crónicas, sorrio.
www.deolinda.pt
Menina ou Moça?
Menina aqui, moça no Brasil.


P

Se isto fosse o teu perfil numa rede social, qual era o ‘sobre’ da Ana Bacalhau?
Sobretudo, Ana. Às vezes, Sofia. E, apesar de tudo, Bacalhau.

P

O que andas actualmente a fazer por Lisboa?
Ensaio novas canções de Deolinda para um 4º álbum que se começa a desenhar, escrevo uma crónica semanal para a Notícias Magazine há já 3 anos, vou fazer o concerto de encerramento das Festas de Lisboa, no Terreiro do Paço, em conjunto com os cantores e guitarristas do projecto “Voz & Guitarra”, a 3 e 4 de Julho e estou sempre a andar de um lado para o outro, no afã de uma vida que quase nunca me permite ficar em casa a fazer nada o dia todo (sim, uma das coisas que mais gosto de fazer é nada).

P

Qual o projecto profissional de que te orgulhas mais?
O facto de ter conseguido concretizar o sonho de viver da música e de cantar para muitas pessoas. De resto, o que ainda está por realizar é o que me dá mais “pica”.

P

Um piropo a Lisboa.
És boa todos os dias. Tens umas colinas que parecem montanhas. Quando te vejo, só me apetece cantar.

P

Um lugar especial da cidade com uma história.
Lembro-me com muita saudade dos tempos em que, pequenina, ia com a minha mãe passear ao Rossio. Quando fiquei mais crescida, ia sozinha de Metro, saía na paragem que a minha mãe me dizia, encontrava-me com ela (a minha mãe trabalhou muitos anos em Alfama) e lá íamos as duas. Ela bebia uma bica e eu, um carioca de limão.

P

Um roteiro para o dia perfeito na cidade?
Ir a pé pela Avenida Almirante Reis, do Areeiro até ao Martim Moniz. Fazer um desvio pela Mouraria para almoçar no Zé da Mouraria e continuar depois até ao Terreiro do Paço. Subir ao Arco da Rua Augusta e maravilhar-me com a vista privilegiada de Lisboa a 360º.
Depois, consoante a vontade, perder-me por Alfama ou ir na direcção oposta e acabar o dia a preguiçar numa esplanada entre o Cais do Sodré e Belém.

P

Um tasco, uma tasca, um boteco ou um botequim.
O Botequim, na Graça.

P

Um link que valha a pena fazer um clique.
3 links, 3 cliques:
http://dangerousminds.net
http://cabide.sapo.pt/tag/oquee
http://www.ruadebaixo.com

P

Um evento ou um espectáculo imperdível.
A Feira do Livro, esse clássico lisboeta que, como os jacarandás em flor, começa em Maio e termina em Junho.
A peça “Um Inimigo do Povo”, de Henrik Ibsen, no Teatro S. Luiz, sob a direcção de Tónan Quito de 3 a 14 de Junho.
A exposição “Os caminhos de Orpheu”, na Biblioteca Nacional, até 20 Junho. Para celebrar o centenário da Orpheu, esta exposição mostra os caminhos que deram origem à revista que juntou nomes como Fernando Pessoa, Mário de Sá-Carneiro, Almada-Negreiros e Santa-Rita Pintor.

P

Três segredos sobre ti.
– Odeio falar muito tempo ao telefone/ telemóvel.
– Adoro puzzles. Quanto mais peças e mais difíceis as imagens, melhor.
– Tenho alguma dificuldade em decorar nomes e caras de pessoas, facto que já me causou alguns dissabores e me obrigou a aprimorar a arte de dialogar longamente com alguém que não me lembro de onde conheço e cujo nome não sei, sem que essa pessoa se aperceba (acho eu).

P

Apresenta uma outra Menina ou Moça de que Lisboa vai ouvir falar.
Crista Alfaiate, uma actriz maravilhosa.

P

Quase a terminar, um clássico: que pergunta faltou fazer?
Por que sorris tanto?
Para não chorar.

P

Qual das fotos da sessão usarias como imagem de perfil?

P

 

Lisboa, Junho 2015

Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmail